terça-feira, 29 de dezembro de 2009

RETROSPECTIVA





INICIANDO minha incursão por esse blog e por todo esse ano, encontrei à minha frente uma IMENSIDÃO AZUL... Passei por algumas CRISES. Talvez menos do que eu esperava, mais do que eu desejava. Mas a cada uma delas procurei encarar como uma PLANTAÇÃO de novos tempos. Segui TOCANDO EM FRENTE e precisei dar alguns ADEUS que ainda não sei se de fato consegui... Mas nada que um tempo de VIDA PRAIANA e AMIZADEs não ajudassem a encarar. E tal como uma ÁGUIA alcei voo e por vezes me senti em um FILME DE ANIMAÇÃO.

Por tudo isso, vivi um TEMPO DE DESPERTAR e de APRENDIZADO. Busquei dar CARA NOVA a velhos PRECONCEITOs. Procurei AMAR E SER AMADA. Descobri que somente com um exercício de DOAÇÃO consegue-se viver plenamente com ASAS DE BORBOLETA. Num TESTE DE PERCEPÇÃO, vi o OUTONO como possibilidade de desprendimento pra poder renascer. Fiz da minha vida uma DESIDERATA buscando em cada ENCRUZILHADA fazer a escolha mais acertada.

Meu DESABROCHAR tem sido minha RAZÃO DE EXISTIR, minha REDENÇÃO. Nos dizeres de UMA ANTIGA BENÇÃO procuro a ESSÊNCIA DA VIDA e, se ONDE ESTÁS continua a ser uma INCÓGNITA, a BUSCA continua... (rsrsrs) Do que OS OUTROS PENSAM faço um DIVÃ. Da relação entre DEUS E EU, uma CRÔNICA. E DE VOLTA à batalha, tento RECRIAR o que não saiu a contento. Abro e fecho PORTAS. E o que vejo DA MINHA JANELA me ajuda no meu VIR A SER.

Às vezes, QUERO SER UMA ÁRVORE. Noutras vezes, quero apenas viver sem MÀSCARAS. NO MUNDO DOS SONHOS devaneio SOBRE SER PSICÓLOGA e, na vida real, faço do meu ofício uma ferramenta que entendo ser a SEMENTE DO AMANHÃ, pra mim e pros que procuro ajudar na simplicidade tão complexa do meu trabalho.

Nessa trajetória, a PRESENÇA DE DEUS é constante. A cada ENCONTRO MARCADO com minha própria essência, a certeza de que algo infinitamente maior me acolhe. Me descobri por vezes PATINHO FEIO?! Sim! SIMPLES ASSIM! Mas se NAQUELE DIA, QUASE ACREDITEI que o era, ainda que SANGRANDO me recompus e aqui estou, ainda inteira (acho!! rsrs) e pronta (espero!!) pra superar obstáculos, encarar desafios e driblar qualquer crise. Esse é o meu DESEJO DE NATAL...

Passado isso tudo, o melhor hoje é saber que posso festejar qualquer conquista, celebrar qualquer nova amizade e me abrir pra tudo o que a vida poderá me trazer. Porque o que de mais importante descobri, foi que se a vida nos traz sofrimentos, muito mais nos traz gratificações. Só precisamos estar verdadeiramente dispostos a enxergá-las.

FELIZ 2010 a nós todos!!!!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

DESEJO DE NATAL


"Quero ver você não chorar
não olhar pra trás
nem se arrepender do que faz.

Quero ver o amor crescer
e se a dor nascer
você resistir e sorrir.

Se você pode ser assim
tão enorme assim eu vou crer
que o Natal existe
que ninguém é triste
que no mundo há sempre amor

Bom Natal, um Feliz Natal!
Muito amor e paz pra você
Pra você!"
(música natalina)

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

REFLEXÃO NATALINA...


Compre! Tenha! Vença! Faça! Conquiste! São apenas algumas das tantas ordens que ouvimos da sociedade, da mídia, do vizinho... Ou já nem as ouvimos mais porque simplesmente já as seguimos. Estamos habituados. E correndo atrás dessas leis que nem sabemos se faz sentido para nós, nos esquecemos do principal: o ser humano. Os outros e nós mesmos estamos em segundo plano.

O tempo do Natal quer nos mostrar justamente o contrário. Jesus, humano, desprovido de todos os bens, nos indica que o mais importante é nossa essência, a pessoa que somos intimamente. E nada é mais próprio do humano do que o SER e o RELACIONAR-SE.

Criados à imagem e semelhança de Deus, somos chamados a ser e só poderemos alcançar nossa verdadeira felicidade quando respondermos fielmente ao seu chamado original, numa abertura a todas as dimensões que nos constituem como pessoas. Segundo a antropologia teológica cristã o ser humano só se realiza plenamente enquanto ser relacional. Isso significa dizer que, chamada a realizar a si mesma, a pessoa só consegue fazê-lo na medida em que se autotranscende, na relação com Deus, com o outro e com o mundo. Na medida em que o ser humano se fecha a qualquer uma das suas relações, caminha na direção contrária do seu vir a ser, tornando-se menos humano, pois é na relacionalidade, inclusive, que a pessoa se compreende como tal.

Muitas vezes, por causa das ditas regras que já nos tornaram hábitos, agimos de forma individualista, egoísta, imediatista. Nesse momento, tornamo-nos menos do que somos chamados a ser. Nossa realização fica negligenciada. Precisamos, então, reiterar nossos princípios de empatia, solidariedade, esperança, liberdade... Restabelecer na nossa relação com Deus, com o outro, com o mundo e conosco mesmo o caminho da autêntica humanidade que nos é mostrada no exemplo de Jesus.

Tenha, faça, conquiste e presenteie se isso realmente fizer bem a você e aos que te rodeiam. Isso também faz parte da realização humana. Mas dê antes de tudo algo de si mesmo: um olhar, um sorriso, um abraço, uma palavra... Antes de ter, SEJA! AME! VIVA!

Feliz Natal e um Ano Novo com realizações verdadeiramente humanas e felizes.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009


Seja fã da verdade e fiel a seus passos.
Adoce sorrisos. Leia olhares.
Seja um pouco anjo, um pouco mágico.
Ame simples e sonhe sempre!

(Campanha de Natal - Shopping Higienópolis, SP)

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

SANGRANDO

Quando eu soltar a minha voz
Por favor entenda
Que palavra por palavra
Eis aqui uma pessoa se entregando

Coração na boca
Peito aberto
Vou sangrando
São as lutas dessa nossa vida
Que eu estou cantando

Quando eu abrir minha garganta
Essa força tanta
Tudo que você ouvir
Esteja certa
Que estarei vivendo

Veja o brilho dos meus olhos
E o tremor nas minhas mãos
E o meu corpo tão suado
Transbordando toda a raça e emoção

E se eu chorar
E o sal molhar o meu sorriso
Não se espante, cante
Que o teu canto é a minha força
Pra cantar

Quando eu soltar a minha voz
Por favor, entenda
É apenas o meu jeito de viver
O que é amar

(Sangrando, Gonzaguinha)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

QUASE ACREDITEI

Quase acreditei que não era nada ao me tratarem como nada.
Quase acreditei que não seria capaz quando não me chamavam, por acharem que eu não era capaz.
Quase acreditei que não sabia quando não me perguntavam por acharem que eu não sabia.
Quase acreditei ser diferente entre tantos iguais, entre tantos capazes e sabidos, entre tantos que eram chamados e escolhidos.
Quase acreditei estar de fora quando me deixavam de fora porque... que falta fazia?
E de quase acreditar adoeci; busquei ajuda com doutores, mestres, magos e querubins.
Procurei a cura em toda parte e ela estava tão perto de mim. Me ensinaram a olhar para dentro de mim mesmo e perceber que sou exatamente, como os iguais que me faziam diferente.
E acreditei profundamente em mim! E tenho como dívida com a vida fazer com que cada ser humano se perceba, se ame, se admire de si mesmo, como verdadeira fonte de riqueza.
Foi assim que cresci: acreditando! Sou exatamente do tamanho de todo ser humano.
E por acreditar perdi o medo de dizer, de falar, participar, e até de cometer enganos. E se errar? Paciência, continuo vivendo, por isso aprendendo.

(desconheço o autor)

domingo, 29 de novembro de 2009

NAQUELE DIA

"E assim, depois de muito esperar,
num dia como outro qualquer, decidi triunfar.

Decidi não esperar as oportunidades, e sim, eu mesmo buscá-las.
Decidi ver cada problema como uma oportunidade
de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia descobri que meu único rival
não era mais que minhas próprias limitações
e que enfrentá-las era a única e melhor forma de superá-las.

Naquele dia descobri que eu não era o melhor
e que talvez eu nunca tivesse sido.
Deixei de me importar com quem ganha ou perde.
Agora me importa simplesmente saber melhor o que fazer.

Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima
e sim deixar de subir.
Aprendi que o melhor triunfo
é poder chamar alguém de amigo.
Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento.
O amor é uma filosofia de vida!

Naquele dia deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados
e passei a ser uma tênue luz no presente.
Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais.

Naquele dia decidi trocar tantas coisas...
Naquele dia aprendi que os sonhos existem para tornar-se realidade
E desde aquele dia já não durmo para descansar.
Simplesmente durmo para sonhar."
("Naquele dia", Walt Disney)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

SIMPLES ASSIM...

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe
E quando eu estiver bobo

Sutilmente disfarce

Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim

Dentro de tudo que cabe em ti

("Sutilmente", Skank)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

PATINHO FEIO?



Só era pato por não saber-se cisne.
Só era feio por não saber seu lugar.
Só era estranho por não saber que era tão somente diferente.

Só era pato, feio e estranho pela ignorância do olhar que lhe era investido.
Só descobriu-se cisne, exuberante e adaptado quando esteve certo de sua própria verdade.
Somos movidos pelo olhar do outro, mas como tudo é relativo, torna-se fundamental conhecer nossa própria verdade, agir de acordo com nossa vontade e julgar de acordo com nossos princípios.

domingo, 25 de outubro de 2009

ENCONTRO MARCADO


Não tem jeito. Em algum momento, todos vão passar por isso. Alguns mais cedo, outros mais tarde... Alguns, uma única vez na vida, outros várias... o fato é que em algum momento, você terá que encontrar-se consigo mesmo!

É como se, por encanto, você se deparasse com sua imagem refletida no espelho e, não mais que de repente, você está ali, desnudo, numa revelação ao mesmo tempo estupenda e assustadora. Suas imperfeições, dificuldades, desabilidades... tudo aquilo que de alguma forma você tentou esconder, mesmo sem querer ou saber, vem à tona.

Claro! vem junto também suas qualidades, capacidades, conquistas... Mas as deficiências são sempre mais reveladoras e impactantes. De tão nítidas e cristalinas quase te cegam. A decepção pode ser enorme; a dor, profunda; o medo de enfrentá-las? maior ainda... Mas não há outro caminho a nao ser encará-las de frente. Pode haver quem prefira manter-se às cegas; outros que simplesmente reposicione seu espelho para que pareça pertencer ao espelho do outro... Mas há os que prefiram (re)conhecê-las, trabalhá-las, transformá-las! Talvez esse seja mesmo o caminho mais difícil, mas o mais recompensador (assim espero!! rsrs)

Eu prefiro acreditar que a revelação seja o caminho para o crescimento. Gostaria que fosse menos sofrido, mais fácil, confesso! Mas me resigno e, tentando me manter firme na caminhada, busco me manter confiante na esperança de que um tempo de paz, confiança e alegria está perto. Um tempo em que a imagem refletida revele as feridas cicatrizadas, as imperfeições aceitas e as alegrias conquistadas... um tempo em que os sorrisos superem as lágrimas e a liberdade suplante as amarras!

domingo, 11 de outubro de 2009

DOROTHY


Há 4 anos ela chegou! Dorothy, nossa querida vira-lata. Um latidinho estridente numa noite fria... não nos contivemos: a adotamos. Com isso, aprendi que quando queremos muito uma coisa, de uma forma ou de outra elas acabam acontecendo. Basta estar atento às oportunidades e ter o coração aberto para recebê-las.
Foi uma grata surpresa...

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

PRESENÇA DE DEUS




Gosto de crer que a vida seja um convite ao aprendizado da disponibilidade, da gratuidade, da simplicidade e despojamento. Um chamado à entrega verdadeira, negação dos preconceitos e expectativas que nos prendem e impedem de conhecer verdadeiramente.


Preciso crer que algo divino e muito maior age, independente de nós e a nosso favor. Prefiro esperar por algo grandioso que revele a presença de Deus em nossa vida. Às vezes a esperança fraqueja, mas confio que o que nos acontece nos serve como guia para um estado de contemplação, superação e plenitude, muito além de conquistas desejadas pelo ser prático e utilitário que naturalmente somos.


Creio que somos instrumentos. Não marionetes! mas instrumentos com a função de concretizar uma verdade capaz de redimir e transformar. Agentes construtores de um plano de amor e vida em abundância!

domingo, 30 de agosto de 2009

SEMENTE DO AMANHÃ


"Ontem um menino que brincava me falou
que hoje é semente do amanhã...
Para não ter medo, que este tempo vai passar...
Não se desespere não, nem pare de sonhar.
Nunca se entregue,
nasça sempre com as manhãs...
Deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar!
Fé na vida,
fé no homem, fé no que virá!
nós podemos tudo,
Nós podemos mais.
Vamos lá fazer o que será."

(música ´Semente do Amanhã´, Gonzaguinha)
Ótimas palavras pra reanimar as forças num princípio de semana...

domingo, 23 de agosto de 2009

AINDA SOBRE SER PSICÓLOGA...



"Pois fica decretado, a partir de hoje,
que terapeuta é gente também.
Sofre e chora, ama e sente, e, às vezes, precisa falar;
o olhar atento, o ouvido aberto
escutando a tristeza do outro
quando, às vezes, a tristeza maior, está dentro do seu peito.
Quanto a mim, fico triste e fico alegre,
e sinto raiva também.
Sou carne e sou osso e quero que você saiba isso de mim.
E agora, que já sabe que sou gente,
quer falar de voce pra mim?"

(Claro Feldman de Miranda)

AOS PACIENTES

"Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo.
Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens,
além daquele que há em sua própria alma.
Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave.
Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo,
e isso é tudo"

(Herman Hesse)

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

SOBRE SER PSICÓLOGA



Fui parar na psicologia meio que por acaso. Sim, porque quando perguntada sobre o que se quer ser quando crescer, ninguém responde que quer ser psicóloga... Professora, médico, veterinária, motorista, até astronauta, mas psicóloga... não! A gente nem mesmo sabe que isso existe...O fato é que hoje sou psicóloga! Pra falar a verdade não sei se isso é bom ou ruim. Às vezes tenho a sensação de ser privilegiada por isso, outras vezes tenho vontade de jogar tudo pro alto e tentar a carreira de... qq coisa que aparecer! rsrsrs

Mas hoje nao vou falar sobre isso. Quero dizer sobre uma opinião que é quase um consenso... O fato de acharem que "os psicólogos são meio loucos!" Às vezes, a gente passa essa idéia mesmo. Eu mesma me acho "doida" em alguns momentos e acho muito difícil conviver comigo mesma... rsrsrs

Devemos mesmo ser meio "loucos"! Ninguém em sã consciência escolheria passar hoooras do seu dia partilhando do sofrimento do outro. Acho que seria bem mais prazeroso ser um jardineiro que cultiva belas flores ou um engenheiro que constrói amplas casas. Quem sabe fosse mais grandioso ser um médico que salva vidas ou mais vantajoso ser um garimpeiro a procurar pedras preciosas...?

Quer saber? Somos, sim, tudo isso! Tal qual um jardineiro, cultivamos esperança e como o engenheiro construímos lares mais harmoniosos. Garimpamos. E como é árdua a garimpagem!!! Esforço mental e emocional muito além daquela caricatura do psicoterapeuta que "dorme" enquanto o outro se lamuria... E encontramos pedras preciosas até então não sabidas nem mesmo por aquele que as carrega. Por isso, ouso dizer que, tal como médicos, salvamos vidas...

Não! Não somos superpoderosos, magos ou videntes! Mas buscamos sim, a magia do poder de transformação que acreditamos escondido em cada ser. Por isso, quero dedicar aos meus companheiros psicólogos os meus pesares e minhas congratulações...
Meus pesares por compartilharem comigo as agruras dessa profissão que, porque ainda incipiente, nos exige tanto esforço, coragem e determinação. Mas a vocês também minha homenagem por acreditar que é possível, por persistir na luta e por acreditar que o sofrimento humano não precisa ser a regra.

Se ter como objetivo ajudar o outro, aceitar a pessoa que se coloca pra nós sem julgamento, acolher a diversidade, se comover com o sofrimento alheio é ser "louco", então somos mesmo loucos! E que pena que nem todos o sejam...

domingo, 9 de agosto de 2009

"O nosso verdadeiro lugar de nascimento é aquele em que lançamos pela primeira vez um olhar de inteligência sobre nós próprios"
(Marguerite Yourcenar)

domingo, 2 de agosto de 2009

NO MUNDO DOS SONHOS

Quero um mundo
onde a censura já não se imponha,
a perfeição não seja exigida,
as desabilidades sejam acolhidas.

Quero um mundo no qual
as verdades sejam ditas,
os automatismos questionados
e as palavras refletidas.

Quero as diferenças respeitadas,
a inteligência aguçada.
Quero uma vida engraçada.

Quero um mundo onde
o sonho de consumo seja o afeto,
e o povo, disperto,
se dê conta do que é o certo.

QUERO...



Quero voltar!
Regressar para de onde parti.
Me cansei de tanto lutar.
Minhas forças se esgotaram
e acho que não posso continuar.

Quero parar!
Simplesmente estar num lugar tranquilo,
onde nada é exigido,
onde eu possa confortavelmente me acomodar.

Quero extravasar!
Soltar toda essa energia contida,
represada por uma antiga mania.
Estranho hábito de acumular.

Quero abrir mão do passado e acolher o futuro,
mas vivendo o presente de forma intensa e libertária.
Quero a simplicidade da vida cotidiana.
Que se danem sucesso e realizações.
Quero apenas entregas verdadeiras, momentos sublimes!

quarta-feira, 29 de julho de 2009

MÁSCARAS


"Fiz de mim o que não soube,
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era
e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pregada à cara.
Quando a tirei e me vi ao espelho,
Já tinha envelhecido.
Estava bêbado, já não sabia vestir o dominó
que não tinha tirado.
Deitei fora a máscara e dormi no vestiário
Como um cão tolerado pela gerência
Por ser inofensivo.
E vou escrever esta história
para provar que sou sublime."


("Tabacaria", Fernando Pessoa)

quarta-feira, 15 de julho de 2009

QUERO SER UMA ÁRVORE...


Quero ser uma árvore FRONDOSA, que não se esqueça que partiu de uma frágil semente, mas que busque alcançar a PLENITUDE dos ares mais elevados.

Quero ser uma árvore EXUBERANTE, que compartilhe com os outros sua BELEZA, mas que reconheça que beleza maior é a da floresta INTEIRA.
Quero ser uma árvore FORTE, que conserve a CORAGEM original de romper a semente e que não envergue com qualquer ventania. Mas que tal fortaleza não se torne rigidez, permitindo a SUBLIME ENTREGA ao balanço tranqüilizante de uma brisa SUAVE.
Quero ser uma árvore GENEROSA, com copa DENSA o bastante para gerar sombra que ABRIGUE os necessitados de descanso. Que no seu EQUILÍBRIO, saiba se desprender das folhas desnecessárias que sirvam pra FERTILIZAR o solo.
Quero ser uma árvore PLENA! Semente FRUTUOSA, raízes SEGURAS, tronco FIRME, galhos GENEROSOS, folhas ACONCHEGANTES, frutos ESPERANÇOSOS de novas sementes...
Quero ser uma árvore que ao tombar sobre o solo, tenha a certeza de que soube tirar dele exatamente o necessário para o seu sustento. Nem mais, nem menos!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

VIR A SER


"Eu procuro por mim.
Eu procuro por tudo o que é meu
e que em mim se esconde.
Eu procuro por um saber que ainda não sei,
mas que de alguma forma já sabe em mim.
Eu sou assim...
processo constante de vir a ser.
O que sou e ainda serei são verbos que se conjugam
sob áurea de um mistério fascinante.
Eu me recebo de Deus e a Ele me devolvo.
Movimento que não termina
porque terminar é o mesmo que deixar de ser.
Eu sou o que sou na medida em que me permito ser.
E quando não sou é porque o ser eu não soube escolher."

(do livro "Quem me roubou de mim - O sequestro da subjetividade e o desafio de ser pessoa", Fabio de Melo)

sábado, 4 de julho de 2009

DA MINHA JANELA...


Da minha janela vejo a chuva cair.
As folhas das árvores agora brilham e se regozijam com o toque das gotas suaves.
A rua trnaforma-se em rio; ponto de encontro das águas que correm sedentas por encontrar o mar.
O perfume de terra molhada me faz suspirar.
Como que bênção dos céus, vem nossa alma lavar e nosso sono embalar.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

PORTAS



Portas foram abertas.
Outras permanecem fechadas.
Algumas se abriram sem que eu nem mesmo as notasse fechadas.
Outras se fecharam por mais que eu as quisesse abertas.

No abre e fecha de portas, sigo sem ainda compreender o que as faz abrir ou fechar. As chaves tanto fecham quanto abrem, mas saber como usá-las é um desafio. Que chave se encaixa em qual fechadura? E mesmo que se encaixe, como e quando será melhor usá-la?

O caminho segue. As portas se multiplicam. A dúvida se modifica mas permanece... Que porta devo abrir? Qual devo fechar? O que cada uma delas esconde? Quem dera elas fossem de vidro e me permitissem uma espiadela... Mas não! São madeira maciça... Não nos permitem vislumbrar o que escondem. Posso olhar pelo buraco da fechadura... ou talvez fosse melhor escancará-las de vez...

Acho que escolho abrir. Na dúvida, eu torno a fechá-las correndo!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

RECRIAR



REFLETIR, sempre!
RESISTIR às dificuldades, mas nunca às oportunidades.
REINVENTAR o que não estiver à contento.
REINTEGRAR o que nos for agradável.
RECOMEÇAR a cada dia.
REPARAR os erros cometidos.
RESTAURAR qualidades que o tempo nos fez esquecer.

CONFIAR naqueles que o fizerem por merecer.
CONSERVAR apenas o que nos faz melhores.
COOPERAR para o crescimento de todos.

RECRIAR-se a si mesmo, em busca da liberdade, da criatividade e da felicidade!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

DE VOLTA...



De fato, andei sumida... mas estou de volta! A vida nos reserva surpresas, às vezes agradáveis, outras vezes nem tanto. Problemas de saúde trazem sempre consigo a lembrança de nossa impotência. Contudo, podem também nos servir como um exercício de fé. Cabe a cada um de nós aproveitar da melhor maneira possível tais acontecimentos. O susto foi grande mas só tenho a agradecer! Deus se fez presente e a vida vai voltando ao normal...

quarta-feira, 27 de maio de 2009

CRÔNICA


Calmamente ele retira o envelope da mochila. Voltava do colégio e resolveu aproveitar o tempo que passaria no ônibus para ler a carta que recebera. Era um envelope branco, lacrado com uma etiqueta vermelha, brilhante, que ele procurou abrir com todo cuidado. O colega ao lado ficou curioso, se entreolharam. De dentro do envelope, retirou um papel dobrado, também lacrado. Mais uma vez, retirou com todo cuidado a etiqueta revelando um cuidado e instigando uma curiosidade: o que mereceria tanto cuidado de ambas as partes, do leitor e do remetente?
Finalmente, uma folha de caderno manuscrita. Retirou-a, abriu, desdobrando parte por parte como que receoso em saber o que ali estava escrito. Olhou para o colega e meio que se esquivando do olhar curioso do vizinho começou a ler, informando apenas que recebera de uma garota do colégio, da outra turma. Prosseguiu então a leitura. Por vezes sorria e comentava algo com o colega, ainda que tentando esconder a carta para que ninguém pudesse acompanhar a leitura. Alternava entre o sorriso e uma expressão séria, um olhar compenetrado, como que estivesse preocupado com o que faria com a informação que estava a receber. Uma carta de amor, possivelmente. De confissão de um amor adolescente, desses que se apresenta e a gente não sabe o que fazer, como revelar. Que nos estufa o peito, trava a garganta, ilumina os olhos... A carta foi a maneira que a jovem encontrou para revelar esse segredo. E ele, ali, meio que atônito, sem saber o que fazer com isso que lhe foi endereçado. Não a carta. O amor! A carta, ele, com o mesmo cuidado, devolveu para a mochila. O amor? Bom, esse não pude saber o que foi feito dele. O jovem desceu do ônibus antes que pudesse me dar qualquer pista de como terminaria a estória. O olhar preocupado? Esse permaneceu. Como se não soubesse o que fazer, que caminho tomar, o que escolher. Pensativo continuou, como que lhe pesasse a decisão em como responder ao sentimento. Talvez não estivesse preparado para a notícia. Talvez goste de outra. E como dizer isso a quem nos ama? Dizer que amor não escolhe? É clichê, mas não é a pura verdade? Talvez pensasse em se dedicar a esse sentimento, mas será que valeria a pena? Estaria pronto para a responsabilidade que emana de tamanho sentimento? Não sabia. Como saber, senão tentando?!
Se de fato foi isso que aconteceu, também eu, não sei. Imagino! Não poderei afirmar. Afinal, uma crônica não é simplesmente nosso olhar sobre um fato com o qual nos deparamos?!



segunda-feira, 18 de maio de 2009

VOCÊ TEM EXPERIÊNCIA?

No processo de seleção da Volkswagen do Brasil, os candidatos deveriam responder a seguinte pergunta: "Você tem experiência"? A redação abaixo foi desenvolvida por um dos candidatos. Ele foi aprovado.

"Já fiz cosquinha na minha irmã pra ela parar de chorar,
Já me queimei brincando com vela.
Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto,
Já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo.
Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista.
Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora.
Já passei trote por telefone.
Já tomei banho de chuva e acabei me viciando.
Já roubei beijo. Já confundi Sentimentos.
Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido.
Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro,
Já me cortei fazendo a barba apressado, já chorei ouvindo música no onibus
Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as maisdifíceis de se esquecer.
Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas,
Já subi em árvore pra roubar fruta,
Já caí da escada de bunda.
Já fiz juras eternas,
Já escrevi no muro da escola,
Já chorei sentado no chão do banheiro,
Já fugi de casa pra sempre, e voltei no outro instante.
Já corri pra não deixar alguém chorando,
Já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só.
Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado,
Já me joguei na piscina sem vontade de voltar,
Já bebi uísque até sentir dormente os meus lábios,
Já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.
Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso,
Já quase morri de amor,mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial.
Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar.
Já apostei em correr descalço na rua,
Já gritei de felicidade,Já roubei rosas num enorme jardim.
Já me apaixonei e achei que era para sempre,mas sempre era um "para sempre" pela metade.
Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol,
Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos,e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.
Foram tantas coisas feitas,momentos fotografados pelas lentes da emoção,guardados num baú, chamado coração.E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita:"Qual sua experiência?" .
Essa pergunta ecoa no meu cérebro: experiência...experiência...Será que ser "plantador de sorrisos" é uma boa experiência? Sonhos!!! Talvez eles não saibam ainda colher sonhos! Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta: Experiência? "Quem a tem, se a todo o momento tudo se renova?".


(retirado do blog http://altamirandrade.blogspot.com/)


Perceba quão relativo é o conceito de experiência!!
Todos, invariavelmente, temos sempre algo a ensinar e algo a aprender... Mais importante do que o que fazemos, é o que vivemos... Conhecimentos técnicos, todos podemos ter/adquirir, mas sabedoria, ensinamentos conquistados com a (con)vivência é privilégio de quem vê a vida com outros olhos...

domingo, 17 de maio de 2009

DEUS E EU...



"Nunca vi ninguém viver tão feliz
Como eu no sertão.
Perto de uma mata e de um ribeirão
Deus e eu no sertão...
Casa simplesinha, rede pra dormir,
De noite o show no céu deito pra assistir.
Deus e eu no sertão...

As horas não sei, mas vejo o clarão
Lá vou eu cuidar do chão.
Trabalho cantando, a terra é a inspiração.
Deus e eu no sertão...
Não há solidão! Tem festa lá na vila.
Depois da missa vou ver minha menina.
De volta pra casa, queima lenha no fogão
E junto ao som da mata vou eu e um violão.

Deus e eu no sertão..."

(música "Deus e eu no sertão", Victor e Léo)



Às vezes, a felicidade está mais perto do que pode parecer. E nas coisas mais simples... É clichê, eu sei, mas não custa lembrar. Até porque, a gente está sempre se esquecendo...

sexta-feira, 15 de maio de 2009



“Os seres humanos não nascem de uma vez por todas
no dia em que suas mães lhes dão à luz...
A vida os obriga sempre e sempre a parir a si mesmos.”


Gabriel Garcia Marquez.

terça-feira, 12 de maio de 2009

O QUE OS OUTROS PENSAM...

Recebi um e-mail de uma amiga que me fez pensar no quê nos impede de alcançar certos objetivos.
Eu, particularmente, como uma boa "fóbica social" (rsrsrs), me importo muito com o fato de "colocar minha capacidade em cheque"... Racionalmente consigo perceber que isso é uma bobagem, mas daí a colocar em prática vai um longo caminho... Porém, já é um passo inicial! Acho que posso ter esperanças de um dia superar isso de vez...
Divido, então, com vocês o texto contido no e-mail. Acho que vão entender o que estou dizendo...

Duas crianças estavam patinando num lago congelado. Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam despreocupadas. De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou.
A outra, vendo o amiginho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e salvar o amigo. Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino: “Como conseguiu fazer isso? É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!”
Nesse instante, Albert Einstein passava pelo local e disse: “Eu sei como ele conseguiu!” Todos perguntaram: “Pode nos dizer como?” “É simples.” – respondeu. “Não havia ninguém ao seu redor para lhe dizer que não seria capaz!”

Conclusão: preocupe-se mais com sua consciência do que com sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam... é problema deles.

Vou tentar me lembrar disso antes de me preocupar com o julgamento das pessoas...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

DIVÃ

Se me permitem dar uma sugestão, assistam ao filme "Divã". Estória simples mas profunda; engraçada e emocionante. Um grandalhão sentado atrás de mim gargalhou e chorou com a mesma intensidade...


No fim, uma conclusão tão simples quanto difícil de ser realizada: cada um de nós precisa aprender a lidar com suas próprias irrealizações.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

BUSCA



Ando procurando e ...tenho encontrado! Nem sempre o que procuro, mas encontro.
Procuro realizações, amores e... um MP3 que anda sumido!

Procurando realizar-me, encontrei afazeres e metas a serem cumpridas para atingir o objetivo almejado. Procurando um amor, encontrei novas atividades, amizades e possibilidades... Independente do que procure, encontro sempre comigo mesma!

A pequena lanterna que iluminava o caminho transformou-se num grande holofote que agora lança luz sobre mim mesma. Num mergulho intenso e profundo percebo potencialidades e fraquezas. A alta luminosidade me permite enxergar as teias de aranha que precisam ser removidas, mas também algumas preciosidades esquecidas no fundo do armário. Avancei na consciência de mim mesma e posso trabalhar pra mudar o que não gostei de encontrar.

Já o MP3, este desisti de encontrar...

domingo, 26 de abril de 2009

INCÓGNITA

Procuro e não acho!
São Longuinho despacho,
Santo Antônio esculacho.

Acho o que não procuro!
Até no escuro,
no meio do entulho
ou debaixo do embrulho.

Se companhia não arrumo,
Sozinha e sem rumo
a procura assumo.

Dizem que quem procura acha?!
Isso nem sempre se encaixa!
Ficou perdido o que foi esquecido.
Achado o que não era procurado.

sábado, 25 de abril de 2009

ONDE ESTÁS?!

Cadê você que não te vejo?! Onde se escondes que não te encontro?!
Terás errado o caminho ou se perdeu tentando achar um atalho?!
Onde estará esse alguém que procuro?

Esse alguém que saboreie uma taça de vinho numa noite fria, mas também divida um picolé no banco da praça de um dia ensolarado.
Alguém que divide as tarefas domésticas, mas não reclame da bagunça daqueles dias agitados.
Um homem que elogie seu novo corte de cabelo, mas que te ache linda mesmo despenteada.
Alguém que divida com você suas opiniões, indagações, reflexões... mas que silencie quando contemplar o mar ao seu lado...
Um alguém responsável com suas obrigações, mas que conserve a alegria e encare os problemas com bom-humor.
Alguém que toque um instrumento musical ou simplesmente se delicie ouvindo uma boa música.
Alguém que goste de dançar, mesmo sem saber, ou que pelo menos não fique “emburrado” se você resolver ir pra pista de dança com os amigos...
Um homem que te deixe por algumas horas para ir ao futebol ou bater papo com os amigos (porque não?!), mas não lhe negue o direito de fazer o mesmo...
Um homem que consiga ser firme com os filhos, ao mesmo tempo em que os acaricia com ternura e os acompanha em suas brincadeiras.
Alguém que se deixa emocionar, demonstra seus sentimentos e fraquezas, mas não se entrega a elas...

Posso estar pedindo muito, mas, na verdade, me contentaria com um amor verdadeiro, desses que reconhecem nossas habilidades e nos ajudam a superar nossos defeitos... Apenas alguém para quem minha presença fizesse diferença. E a gente pudesse crescer juntos...
Não peço perfeição, apenas alguém disposto a acertar, a cuidar, a dividir para somar...
Um alguém que me abrisse um lindo sorriso sem motivo, enxugasse eventuais lágrimas e me abraçasse forte...

“Eu to te esperando. Vê se não vai demorar...”
(Lanterna dos afogados, Paralamas do Sucesso)

terça-feira, 21 de abril de 2009

BOLA DE MEIA, BOLA DE GUDE

Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto balança
Ele vem pra me dar a mão

Há um passado no meu presente
Um sol bem quente lá no meu quintal
Toda vez que a bruxa me assombra
O menino me dá a mão
E me fala de coisas bonitas
Que eu acredito
Que não deixarão de existir
Amizade, palavra, respeito
Caráter, bondade alegria e amor
Pois não posso
Não devo
Não quero
Viver como toda essa gente
Insiste em viver
E não posso aceitar sossegado
Qualquer sacanagem ser coisa normal

Bola de meia, bola de gude
O solidário não quer solidão
Toda vez que a tristeza me alcança
O menino me dá a mão
Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto fraqueja
Ele vem pra me dar a mão

(Música Bola de meia, bola de gude - Milton Nascimento)

domingo, 19 de abril de 2009

ESSÊNCIA DA VIDA


"Quando a gente pensa que sabe todas as respostas,
vem a vida e muda as perguntas"
(desconheço o autor)

Por um longo tempo, achei que a vida seria sempre a mesma coisa. As situações mudariam, claro, mas em sua essência, a vida seria a mesma: escolhas, opiniões, atitudes... Acreditar nisso é comum até uma certa idade, mas acho que estendi essa crença para além do normal...

Quando criança, achava que nunca gostaria de jiló, que sempre acharia os meninos uns chatos, que ia continuar estudando pro resto da vida...
Quando adolescente, achava que seria eternamente de esquerda, o Lula nunca ganharia uma eleição e seria vascaína pra sempre.
Jovem, tinha certeza de que não ía casar e ia ter um emprego estável...

O fato é que, hoje percebo que a mudança é a essência da vida. Paradoxal dizer que “a mudança é a única coisa que permanece” mas é exatamente assim. E a mudança nos rejuvenesce. Quando a gente muda, tem a possibilidade de jogar fora o que nos pesa, ficamos mais leves, mais dispostos. Nos tornamos mais alegres e vivazes porque nos deparamos com o novo, o desconhecido que atiça nossa curiosidade.

Mas não é fácil. Desapegar-se do que nos é cômodo, enfrentar os desafios do desconhecido, reaprender a lidar com as situações, pessoas e conosco mesmos é, no mínimo, diferente... Gera angústia e ansiedade, medo do novo...

Na minha prática clínica, me deparo cotidianamente com esse processo de mudança. Algumas pessoas desistem antes de conseguir, é verdade. Mas quão gratificante é nos deparar com aquelas que conseguiram!! Sobretudo porque, invariavelmente, elas mudam pra melhor!! Elas se tornam mais bonitas, cuidam-se, valorizam-se... Só que, como a mudança é dinâmica..., você atinge determinado objetivo e logo resolve querer alcançar outro, evoluir. E aí começa tudo de novo... Mudamos tudo novamente e a única coisa que permanece igual é... a necessidade de mudar de novo!

Hoje?! Não amo jiló, mas... como. Os meninos? Ainda são meio chatos às vezes, mas alguns são adoráveis (e até melhores do que muitas meninas...). Ainda continuo “de esquerda”, mas percebo que mesmo a esquerda tem suas mazelas e já não me iludo... O Lula já ganhou duas eleições (apesar de tudo, ainda acho que isso é bom), já considero a idéia de casar (quando encontrar alguém que me mereça, claro!! Rsrsrs), e o meu emprego? Mais instável impossível...

É! Muita coisa muda... Mas ainda continuo vascaína, mesmo na segunda divisão, porque princípios de fidelidade e bom gosto, isso não pode mudar!!! Assim como princípios de honestidade, justiça, respeito, fé... Sobre continuar estudando? Espero chegar numa época da vida que também isso mude!

A vida permanece dando respostas e mudando as perguntas... Nada é definitivo, por mais seguro que pareça. Por isso é tão importante valorizar o momento presente: aproveitar os bons e não se desesperar com os maus momentos, porque “não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe”. Afinal... tudo muda!!!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

UMA ANTIGA BENÇÃO


"Que teu caminho seja brando a teus pés.
Que o vento sopre leve em teus ombros.
Que o sol brilhe cálido sobre a tua face.
As chuvas caiam serenas em teus campos .
E até que eu de novo te veja, que Deus te guarde na palma de sua mão."

terça-feira, 14 de abril de 2009

REDENÇÃO


Páscoa é renascimento! É redenção!

A Páscoa Judaica celebrava a libertação da escravidão do Egito. Com Jesus, a Páscoa passa a ter um novo significado: a libertação da morte e a confirmação de que Deus está sempre nos apontando o caminho de libertação do sofrimento.

Por vezes, somos como Pedro e nos escondemos atrás de uma negação por medo ou por desengano. Outras vezes, como Judas, nos deixamos levar por valores que traem nossos princípios. E outras tantas vezes lavamos as mãos tal qual Pilatos achando que não é da nossa conta ou que nossa ação não fará diferença...

Mas o exemplo de Jesus, divino humano, nos mostra que podemos superar os desafios, sobreviver ao sofrimento quando persistimos na nossa missão e nos colocamos a caminho acreditando que Deus nos acompanha... Por isso, todo dia é Páscoa: É sempre tempo de recomeçar, de nos libertar das situações de morte que teimam em se colocar para nós no nosso dia-a-dia.

Ainda é tempo de dizer-lhes Feliz Páscoa! Feliz Renascimento! Feliz Redenção!

quarta-feira, 8 de abril de 2009

RAZÃO DE EXISTIR

Hoje andei elocubrando sobre o sentido da existência humana. Viagem profunda, devaneios malucos...

A vida é um caminhar constante. Entre paradas pra descanso, a necessidade de se colocar a caminho é proeminente. Se queremos chegar ao destino, precisamos caminhar. Mas, que destino é esse que todos procuramos? O que, de fato, faz sentido nessa vida? Ter uma profissão, um emprego, um salário? Ter amigos, momentos de lazer e descontração? Repartir experiências, ensinar e aprender com o outro, ser pessoas melhores? Fazer o que gostamos, passear, viajar, conhecer pessoas e lugares? Ajudar as pessoas, transformar o mundo em um lugar melhor pra se viver? Encontrar um grande amor, ter filhos, netos; constituir família? Pra quê afinal estamos aqui? Por que, enfim, Deus nos criou?

Vivemos pra nos aperfeiçoarmos espiritualmente, pra conquistarmos a vida eterna, pra simplesmente viver o momento porque não existe nada além da vida? Cada um dirá uma coisa, baseado em sua crença religiosa. Daí a importância de ter uma religião ou desenvolver a espiritualidade.

Gostaria imensamente de descobrir a verdadeira razão de ser do mundo!

sexta-feira, 3 de abril de 2009

DESABROCHAR...


A duras penas tenho aprendido que querer não é poder!
Tal como uma criança, gostaria de bater o pé e exigir que me permitam realizar o que quero; fazer birra e esperar que os caminhos se abram como num passe de mágica e por eles passem meus anseios de realização e conquista.
Tal como uma adulta, gostaria de simplesmente reconhecer o que é impossível e calmamente lutar pelo possível; trabalhar para conseguir o que quero e pacientemente esperar até que a “árvore dê frutos”.

Estou longe de ser essa criança birrenta (não a fui nem mesmo quando era criança!). Tampouco sou essa adulta resignada e paciente... A ansiedade me corrói e a pressa de viver me assola. Pareço que estou nos últimos anos de vida.... Talvez esteja! Pelo menos nos últimos anos da juventude, dessa juventude onde tudo é (ou parece) possível...

É clichê dizer que ser jovem é um estado de espírito, de forma que mesmo velhos podemos continuar jovens... Concordo. Em parte! Primeiro porque dizer que velho também pode ser jovem parece um desrespeito com os velhos, no sentido de desvalorizar tudo o que já viveram, como se estivéssemos dizendo que ser jovem é melhor que ser velho. O que não é verdade. Acredito que cada época tem suas vicissitudes. Depois porque, mesmo se nos conservamos jovens, no sentido de manter a alegria e disposição para viver, ainda assim não nos livramos de certas limitações que são físicas, materiais... O envelhecimento biológico, o correr do relógio, as transformações cotidianas... Isso não muda!

Quando jovens, podemos sonhar sem limites porque a realização fica pro futuro; nos permitimos adiar as responsabilidades, ainda que sejamos compromissados; o que deu errado, a gente concerta e o que deu certo a gente festeja.
Mas chega um momento em que tudo isso se transforma e tudo vai ficando mais “sério”. E aí vem o desafio de assumir as responsabilidades sem ficar chato. Enfrentar os desafios sem perder o bom humor. Encarar as mudanças sem se desesperar. Envelhecer sem perder a beleza. Descobrir-se a si mesmo sem se assustar. Amar sem esperar nada em troca... Conseguir ser feliz apesar de todo infortúnio. Valorizar o que realmente faz sentido pra nós e, sobretudo, descobrir O QUÊ faz sentido!

Não é fácil. Por vezes, a angústia chega a sufocar e a esperança pensa em fraquejar. Mas, se toda “crise” pode ser a oportunidade que esperávamos para crescer e aprender, então tento manter a coragem, alimentar a alegria e compreender o obstáculo como mais um passo para a sabedoria!

domingo, 29 de março de 2009

WALL-E

Ontem, vários países aderiram à "Hora do Planeta": 1 hora de luzes apagadas para nos conscientizar da situação ambiental que vivemos. Eu aderi ao movimento... É só uma gota do oceano e não resolve a situação, mas já é um bom começo... Apesar de quê, já estamos começando a muito tempo, não é mesmo?! Já está na hora de atitudes mais concretas...

Se você quer pensar mais sobre o assunto, vale assistir a animação "WALL-E" (da Pixar)! O filme tem tudo a ver com o tema e é uma obra primorosa! Mesmo com pouquíssimos diálogos (me fez lembrar o cinema mudo de Chaplin!) consegue transmitir com perfeição as mensagens.



Wall-e é um robozinho amoroso e atrapalhado; a Terra, se transformou em um aglomerado de lixo; os humanos se isolaram numa nave espacial até que possam retornar, o que só será possível quando nosso planeta voltar a gerar vida... Muitas discussões são suscitadas: o descaso com o meio ambiente, a supremacia do automatizado sobre os princípios humanos, a alienação e comodismo da humanidade, que em sua apatia se parecem mais com robôs do que o próprio protagonista da estória.



Mais uma animação pra gente grande! Vale a pena!

terça-feira, 24 de março de 2009

ENCRUZILHADA



Escolhi agradecer ao invés de reclamar,
Revelar ao invés de esconder,
Decidir antes de titubear.

Resolvi esquecer o que não quero lembrar
E perdoar quem gostaria de odiar.
Reconhecer o valor de quem por mim passar
Por mais que tenha me feito sofrer.

Conhecer o que me é dado,
Jamais desistir antes de ter tentado.
Ousar construir o imaginado
Ao invés de esperar que me seja dado.

Embora tenha escolhido,
Não significa que tenha cumprido.
Mas não ter realizado,
Não significa que não tenha tentado

Quero ao menos poder dizer
Que persisti no que foi almejado
E, com a mesma dignidade, me permitir desistir
Se descobrir que estou no caminho errado.

domingo, 22 de março de 2009

DESIDERATA

No meio do barulho e da agitação, CAMINHE TRANQÜILO, pensando na paz que você pode encontrar no silencio.

Procure VIVER NA HARMONIA com as pessoas que estão ao seu redor, sem abrir mão da sua dignidade.

FALE A SUA VERDADE, clara e mansamente. Escute a verdade dos outros, pois eles também têm a sua própria historia. Evite as pessoas agitadas e agressivas: elas afligem o nosso espírito.

NÃO SE COMPARE AOS DEMAIS, olhando as pessoas como superiores ou inferiores a você: isso o tornaria superficial e amargo.

VIVA INTENSAMENTE os seus ideais e o que você já conseguiu realizar.

MANTENHA O INTERESSE NO SEU TRABALHO, por mais humilde que seja: ele é um verdadeiro tesouro na contínua mudança dos tempos.

SEJA PRUDENTE em tudo o que fizer, porque o mundo está cheio de armadilhas. Mas NÃO FIQUE CEGO PARA O BEM que sempre existe. Há muita gente lutando por nobres causas. Em toda parte, a vida está cheia de heroísmo.

SEJA VOCÊ MESMO. Sobretudo não simule afeição e não transforme o amor numa brincadeira, pois no meio de tanta aridez ele é perene como a relva.

ACEITE com carinho o CONSELHO DOS MAIS VELHOS e seja compreensivo com os IMPULSOS INOVADORES DA JUVENTUDE.

CULTIVE A FORÇA DO ESPÍRITO e você estará preparado para enfrentar as surpresas da sorte adversa. NÃO SE DESESPERE com perigos imaginários: muitos temores têm sua origem no cansaço e na solidão.

Ao lado de uma SADIA DISCIPLINA, conserve para consigo mesmo, uma IMENSA BONDADE. Você é filho do Universo, irmão das estrelas e arvores, você merece estar aqui. E mesmo se você não pode perceber, a Terra e o Universo vão cumprindo seu destino.

PROCURE, POIS, ESTAR EM PAZ COM DEUS, seja qual for o nome que você lhe der.

No meio dos seus trabalhos e aspirações, na fatigante jornada pela vida, CONSERVE NO MAIS PROFUNDO DO SER, A HARMONIA E A PAZ. Acima de toda mesquinhez, falsidade e desengano, o mundo ainda é bonito.
CAMINHE COM CUIDADO, FAÇA TUDO PARA SER FELIZ E PARTILHE COM OS OUTROS A SUA FELICIDADE.
(texto encontrado em Baltimore, EUA, na antiga Igreja de Saint-Paul, em 1962)

quinta-feira, 19 de março de 2009

OUTONO


Enfim, chegou o outono! O sol de põe mais cedo, acorda mais tarde. Os dias ficam mais tristes e preguiçosos. A tardezinha fica mais fria, o céu cor-de-rosa e o vento aparece sereno. A paisagem enche-se de tons pastéis, as árvores se desnudam e o chão se cobre.


É a sábia natureza a nos ensinar! Nos ensinar sobre doação, desprendimento e trasformação... Para garantir energia suficiente para um novo florescer, as folhas generosamente se desatam. Na verdade, não é um simples descarte, mas um transformar... Novas folhas brotarão na primavera.



Também nós, para darmos novos brotos, precisamos nos dispor daquilo que nesse momento não nos é útil. Deixar pra trás o que somente dispende energia e "trabalhar" pra gerar vida nova.

quarta-feira, 18 de março de 2009

ACHOU O HOMEM?!

Se você não conseguiu achar o rosto do homem, não se desespere. Aí está a resposta! Pelo menos você exercitou seu cérebro e criou novas conexões sinápticas!!


domingo, 15 de março de 2009

TESTE DE PERCEPÇÃO

Um teste pra passar o tempo e verificar seu desempenho cerebral... Tente achar o rosto de um homem entre os grãos da figura abaixo.



Se você conseguir achar o homem em menos de 3 segundos, o lado direito do seu cérebro é mais desenvolvido que o normal. Se achar em até 1 minuto, é normalmente desenvolvido. Se gastar de 1 a 3 minutos, seu cérebro está lento. Concentração e boa sorte!

quarta-feira, 11 de março de 2009

ASAS DE BORBOLETA



O comentário da Maria Emília na postagem anterior me fez pensar... Como uma pessoa que acabo de "conhecer" pode definir tão bem o que sinto?!


Ela tem razão quanto a eu "ter decidido a sair do meu Casulo". Não sei exatamente o que provocou essa mudança. Ou melhor, sei que essa transformação veio se construindo nos últimos anos. Então me pergunto: mas por que não antes?! Talvez porque ainda me considerasse uma lagarta...


A borboleta ainda não estava totalmente formada, ainda faltavam cores a enfeitar minhas asas e faltava coragem pra romper o casulo. Por um instante me arrependo e sinto ter perdido tempo de vôo. Mas volto atrás e percebo que valeu a pena: hoje sou uma borboleta mais "bela" e posso dar ao mundo um colorido melhor do que eu poderia antes.


Embora hoje tenha me aventurado a romper o casulo, ainda me falta destreza suficiente para o vôo. Mas o medo para arriscar já é menor. As asas ainda são pequenas, e talvez nem venham a ser tão grandes, mas a experiência conta mais que outros atributos. E experiência a gente só ganha com a prática, com os erros e acertos.... com a tentativa.


E pra entender essa "dinâmica da borboleta", a gente não precisa se conhecer... É processo natural do SER, experienciado por todos, cada um a seu modo. Seja aqui, em Portugal, ou na China...


A todo tempo existirão casulos a serem rompidos, borboletas a alçarem vôo e lindas asas a se destacarem por entre as matas!

segunda-feira, 9 de março de 2009

DOAÇÃO

Algo que posso oferecer e ainda possuir... minhas próprias palavras
(desconheço o autor)

Sempre optei, por uma timidez covarde, guardar meus pensamentos só pra mim. Não posso dizer que me libertei desse mau hábito totalmente, mas evoluí bastante (como vêem, já tenho até um blog! rsrsrs).

Sem falsa modéstia, tenho uma certa habilidade em escrever e estou conseguindo colocar isso a serviço: tenho escrito artigos ligados à minha profissão. Tive receio no início, mas me surpreendi com o retorno que obtive. Não digo retorno material. Esse, na psicologia é bastante difícil... Mas em termos de autoconhecimento e reconhecimento do meu valor. Me sinto útil... As pessoas tem gostado do que escrevo e os amigos (os verdadeiros) têm demonstrado um carinho que realmente não esperava (embora desejasse! rsrsrs).

Como disse minha querida irmã, consegui um veículo com o qual posso de fato ajudar as pessoas. E consigo, em troca, me ajudar também. Precisamos colocar nossos dons a serviço!
Enfim, ofereço de bom grado aquilo que julgo possuir de mais precioso: meu conhecimento e minha capacidade de reflexão. Ofereço minhas palavras, mas não as perco. Ao contrário, as multiplico!

sábado, 7 de março de 2009

AMAR E SER AMADO


Tem coisas que a gente já sabe, sempre soube, mas na prática não consegue realizar. Essa coisa de gostar de quem gosta da gente é velho mas a gente não manda no coração. Aí quebra a cara, se decepciona, sofre... Racionalmente a gente pode decidir esquecer, deixar pra trás, levar consigo só o que viveu de bom e o que aprendeu... Mas emocionalmente não é tão simples assim.
Só que, de repente, você percebe que quem gosta de você de verdade são aqueles que estão sempre do seu lado e não importa se é um amor fraterno, de amigo, de namorado, ... o que importa é se sentir querida e ter a certeza de que esse amor é sincero e verdadeiro! E como é bom se sentir amada! "Simples" palavras, pequenos gestos, têm me feito "descobrir" isso... Não que eu não soubesse, mas como disse, tem coisas que a gente sabe mas não se dá conta...
O amor universal, altruísta, pode e deve ser dirigido a todos, sem retrição. Mas o amor libidinal, esse só faz sentido quando nos é correspondido... Do contrário, torna-se motivo de sofrimento. E aí não vale a pena!

quinta-feira, 5 de março de 2009

PRECONCEITO

Algumas palavras dizem tudo em si mesmas... Preconceito é uma delas.

Obviamente, se refere a formar um PRÉ-conceito, ou seja, fazer juízo a respeito de alguma coisa antes de conhecê-la profundamente. Assim, formamos uma opinião sobre algo/alguém tomando como base uma única característica, seja cor, religião, opção sexual, aparência, etc. e a partir daí guiamos nossas atitudes em relação a este algo/alguém baseando-nos apenas nessa opinião que julgamos certa. Por isso, na minha visão, o Pré-conceito é tão destrutivo... porque tira de nós a oportunidade de vir a conhecer... e tira do outro a oportunidade de se fazer conhecido. Permanecemos, nós e o outro, íntimos desconhecidos!

Engraçado, que às vezes também assumimos um preconceito “positivo”. Digo positivo não no sentido de que seja menos prejudicial, mas porque parte das características que julgamos positivas numa pessoa. Quero dizer, julgamos algo/alguém somente levando em conta o que vemos de bom nela... E aí, da mesma forma, estamos fazendo um PRÉ-conceito. De novo ignoramos o processo do conhecer e, criando uma imagem equivocada, nos decepcionamos, por um erro nosso mesmo, que não damos ao outro espaço para se revelar.

Fico me perguntando por que isso acontece? Será simples comodismo, de não se dar ao trabalho de refletir, pensar antes de formar uma opinião? É bem mais fácil encaixar uma nova informação na lista de categorias pré-estabelecidas que todos temos. Não seria mais gratificante conhecer algo novo e aumentar nossa lista de categorias?
Acho que na verdade é falta de tempo... É! Não temos, ou melhor, não nos damos tempo nem de conhecermos uns aos outros... Afinal, o tempo urge, os anos correm, a vida passa! Não podemos perder tempo descobrindo o outro, temos que trabalhar, ganhar dinheiro, cuidar da casa, da educação dos filhos... Não é isso que todos dizem?! Continuamos ignorando o outro na esperança de que nossa vida fique mais fácil!!

Não conhecemos o outro e nos negamos o conhecimento de nós mesmos...

terça-feira, 3 de março de 2009

CARA NOVA

Como dizia um antigo comercial de tintura capilar da década passada (acho que estou ficando velha!!), "minha voz continua a mesma, mas os meus cabelos... quanta diferença!".
Pois é! O blog mudou de aparência mas continua com a mesma essência...

segunda-feira, 2 de março de 2009

APRENDIZADO

Minha avó sempre dizia que “conhecimento não ocupa lugar”. Acho que internalizei essa fala dela... Adoro aprender! Qualquer coisa que seja. Saber mais sobre algum assunto que ainda não sei, desenvolver uma nova habilidade, entender melhor como as coisas acontecem, ... Enfim, me acostumei a levar tudo na minha vida como um aprendizado.

E inspirada num poema de Shakespeare ("Eu aprendi"), resolvi escrever o que eu tenho aprendido nesses últimos meses. Fiz minha versão...
Digo “tenho aprendido” para demonstrar continuidade. É como vejo o aprendizado. Nunca está concluído. Há sempre algo a se aprender... Portanto, tenho aprendido...


TENHO APRENDIDO...

Tenho aprendido que nem todos os frutos que colhemos são materiais. Mas, desses frutos imateriais podem nascer sementes para a conquista de frutos palpáveis.

Tenho aprendido que sonhar é muito fácil, mas tornar projetos em realidade dá muito trabalho. Exige dedicação e paciência. E que paciência!!!

Tenho aprendido que nem tudo que reluz é ouro. Tem coisas (e até pessoas) que nos seduzem, mas, quando olhamos de perto, não são tudo isso...

Tenho aprendido que querer não é poder, principalmente quando envolve o querer/poder do outro. Querer é simplesmente poder tentar, e só! Conseguir já é outra estória...

Tenho aprendido que entregar-se é melhor do que abster-se, ainda que você saia machucado.

Tenho aprendido que conhecer os outros é conhecer-se a si mesmo. Ou pelo menos, levantar questões que te levam ao autoconhecimento.

Tenho aprendido que não aprendi tudo, estou ávida por aprender mais e vou morrer tendo o que aprender!
Por isso mesmo esse poema não acaba aqui. De tempos em tempos terei aprendido mais e novos versos surgirão.

domingo, 1 de março de 2009

TEMPO DE DESPERTAR

Se me permitem dar uma sugestão, assistam "Tempo de despertar", com Robin Williams e Robert De Niro. Um filme que fala das coisas simples da vida e da complexidade também.
Complexidade dos processos de tratamento, das coisas que nos acontecem e não entendemos exatamente como aconteceu, dos resultados (ou derrotas) que alcançamos e não compreendemos. Me fez pensar sobre o inexplicável, sobre aquilo que nossa razão não alcança...

Também nos remete ao processo de mudança humana. Como é fantástico perceber que ajudando o outro, nos transformamos a nós mesmos!! E isso não é prvilégio só dos médicos (como o personagem do filme), mas de todos aqueles que se dispõem a entregar-se ao relacionamento humano. Por perceber isso, me comovo e agradeço por ser psicóloga. Ajudo as pessoas a se tornarem melhores, mas, apesar de todas as agruras da profissão, desconfio que a mais beneficiada sou eu mesma... Pelo menos, em termos imateriais!!!

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

FILMES DE ANIMAÇÃO

Tenho uma teoria de que os filmes infantis de animação são para “gente grande”. Não que as crianças não se beneficiem com os ensinamentos desses filmes... Muito pelo contrário! É bom que elas, desde cedo tomem conhecimento de conceitos éticos que, como qualquer estória infantil, eles também trazem. Mas é que esses filmes são sempre tão bem cuidados e bem produzidos que merecem uma reflexão mais aprofundada... Procurando Nemo, Robôs Formiguinhas, Shrek... são só alguns exemplos de longa-metragem que possibilitam uma crítica social muito além de uma simples diversão.

ROBÔS


A animação “Robôs”, da Fox, consegue dar o recado direitinho. O filme trata de uma sociedade consumista que descarta tudo aquilo que não lhe traz mais lucro. Esse modelo social lhe é familiar?!

Pois é! Dá pra gente pensar na discriminação social a tudo o que foge do padrão (de beleza, de funcionalidade, de princípios). E aí podemos incluir os idosos, obesos, deficientes, ... Onde só vale o consumo, é bom que tudo seja passageiro... Assim, facilmente o descartamos e partimos pra outro... Você conhece alguma sociedade assim?!

Acho que estamos mesmo vivendo na sociedade dos robôs, afinal se nos tratamos como objetos, então é a subjetividade que estamos negando. E não é exatamente a capacidade de sentir e pensar que nos diferencia deles?!

PLANTAÇÃO II

"À semente, dá-lhe o tempo para germinar"

Assim, quando percebermos, teremos uma grata surpresa.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

ÁGUIA

Voa até onde não posso ir.
Leva contigo a esperança de que um dia eu chegue aí.
É longo o caminho quando não se tem certeza de que deves partir.
A certeza que levas contigo, ainda não aportou por aqui.


Já faz alguns anos que escrevi estes versos... Hoje, posso dizer que mesmo sem ter certeza, parti... E também aprendi que certeza é uma coisa quase impossível de se ter. Temos escolhas, possibilidades, e só!


Também não posso dizer que já cheguei onde pretendia... ainda estou longe de alcançar o vôo alto e tranquilo que pretendo alçar. Talvez nunca alcance, porque é do ser humano sempre querer mais, não no sentido material, mas no sentido de evolução... Que bom! Talvez a graça de viver esteja exatamente aí.


O caminho de fato é longo, mas nem por isso precisa ser ruim. Podemos nos dedicar a tornar esse caminho florido e delicado, porque assim terá valido a pena independente de chegarmos no destino programado.


"Vá ao encontro daquilo que te realiza"

domingo, 15 de fevereiro de 2009

AMIZADE

Sempre ouvi dizer que é nas horas difíceis que a gente conhece os verdadeiros amigos. Pois hoje preciso agradecer por ter tido oportunidade de conhece-los sem precisar passar por tais momentos. Não que eu não os tenha (os problemas), mas não ouso colocá-los num grau muito alto de dificuldade, principalmente quando passam por mim quase todos os dias pessoas com histórias de vida tão conturbadas e com obstáculos tão mais difíceis de superar...
Pois agradeço por ter a oportunidade de me sentir querida... Sim, porque muitos nem conseguem perceber a presença dos amigos. Numa simples palavra de incentivo, no reconhecimento do seu valor no trabalho, no apoio sempre incondicional da família, num simples bom dia do vizinho, numa rosa ou num presente que tenha recebido, num e-mail carinhoso que expressa o seu valor de irmã (valeu Bia!!) ou que abre portas para oportunidades profissionais... Em cada gesto desses que recebi nos últimos dias percebo o carinho das pessoas comigo e através delas a presença de Deus em minha vida.
Então, aos meus amigos, obrigada pelo carinho e incentivo... Espero poder retribuir! Contem comigo...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

VIDA PRAIANA...

Que fantástica essa vida praiana!



Os marmanjos voltam a ser criança. Constroem castelinhos na areia, correm saltitantes mar adentro, enterram-se na areia (se bem que isso nem as crianças mais espertas fazem!!).
As crianças tornam-se adultas! Mostram-se responsáveis por um simples siri que tenta fugir da piscininha na areia construída pelos tais marmanjos outrora feitos crianças...
As famílias se reúnem... Algumas pra dividir alegrias, outras pra multiplicar confusões!! Tudo bem!! O importante é que vão somar histórias...
Ali, todos são iguais!!. Pobre ou rico, criança ou velho, negro, branco ou amarelo... Todos querem apenas uns momentos de felicidade...
Mas de repente percebo que estou errada. Não! Mesmo ali, nem todos são iguais...


Ao longe vem Igor, um bonito e simpático garoto empurrando seu carrinho de picolé. Nos seus inocentes 11 anos, não percebe quão grandiosa é sua presença! Gosta de estudar, mas me diz que não tem um sonho pra quando crescer.

Ele, nesse momento, só consegue pensar na quantidade de picolé que precisa vender pra ajudar os pais e dois irmãos que ficaram em casa. E abre um sorriso ao dizer que já vendeu metade e vai precisar repor o estoque pra vender mais...
Eu, nesse momento, só consigo perceber minha impotência. A vontade de ajudar é imensa, mas só posso comprar seu picolé, lhe oferecer água pra matar sua sede e tentar, com nossa conversa em todos esses dias, desperta-lhe outra sede... A sede de crescimento e de oportunidades! A sede de se manter firme no caminho apesar das pedras. A sede de ter reconhecido o seu valor e de se perceber importante no meio de tanta gente...

E ele não é o único... Em meio a churrasquinhos, salgadinhos, milho verde e salada de frutas, tantos outros dividem espaço, cada um lutando do seu modo pra sobreviver. E nesse momento, percebo que ali não somos todos iguais! Nesse instante, eles são melhores que nós, meros turistas, “praieiros”. Eles são lutadores e exemplos de vida, como tantos outros brasileiros que teimam em sobreviver e não perdem a alegria e a garra diante das dificuldades!!

E a despeito de toda essa agitação, a gaivota plaina suave, o vento continua a soprar e as ondas continuam a quebrar... mostrando-nos que, apesar de tudo, a vida continua!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

ADEUS!

O texto a seguir não é meu e infelizmente não sei de quem é, mas fez sentido pra mim.... Então, divido alguns trechos com vocês!


"Quando é que devemos dizer adeus? [...]

Pra dizer esta palavra mágica é necessário possuir férrea determinação. Porque, quando acontece, é inevitável o sofrer. Dizer adeus é dar o primeiro passo num difícil processo de crescimento. Ninguém passa impune por esta experiência. É preciso elegância no ato do adeus. Classe. E isso implica uma dose muito grande de generosidade. Generosidade que depende do humano que há em nós. [...]

Adeus é fechar portas. E abrir outras. É ampliar horizontes. Nunca entenda um adeus como fracasso. Adeus é sinônimo de sucesso. Possibilidade que você se dá. E, creia, é muito bom saborear a volta por cima. Adeus é criar coragem. Hastear uma bandeira. A da liberdade. [...]

Por que não dizer adeus? [...]
Adeus é parte do aprendizado da vida. Possibilita, ainda, o conhecimento da importância do não. Serve de base na tomada de decisões. Adeus é bagagem. Mas aprenda que dizer adeus não é só eliminar o excesso de peso. É, antes, sabedoria que nos permite o viajar leve. Assim, na estrada da vida, deixe para trás o que não lhe faz falta. Aquilo que cansa. Incomoda. Amarra os seus pés. Voar a dois é muito bom. Mas deixe o vácuo por conta das andorinhas... "

Posso dizer que ultimamente tenho conseguido dar alguns adeus (é assim o plural?!). Adeus a uma ilusão, adeus ao comodismo, adeus a crenças sobre mim mesma e sobre o mundo... E me surpreendi com minha capacidade em dar esse adeus! Me descobri generosa, confiante, espiritualizada, liberta!!

Junto com o adeus, se foram momentos, lembranças, sonhos... Mas também chegaram novos projetos, novos desafios, esperança de crescimento e certeza de que posso tentar!

Se me permite, sugiro que você também descubra ao que quer dar adeus e o faça com coragem. Manter a determinação é difícil, mas o sentimento de autovalor é gratificante!

domingo, 8 de fevereiro de 2009

TOCANDO EM FRENTE

Música é uma das minhas paixões!!
Já percebeu como são poderosas essas danadas??! Elas conseguem nos transportar... Quando ouço uma música (me refiro às boas músicas!!!), me inspiro, mergulho em lembranças, viajo por seus versos...

E como são versáteis! Nos fazem chorar mas também nos alegram; nos embalam nas paixões, mas também nos ajudam a esquece-las (e isso é bom!!!); algumas simplesmente nos divertem, outras nos ajudam a pensar na vida...

Minha lista de favoritas é grande, mas uma delas me chama atenção... Nunca encontrei uma que fosse tão abrangente e tão profunda ao mesmo tempo. De cada verso a gente pode tirar uma reflexão...

Acho que gosto tanto porque fala da nossa capacidade, apesar da nossa pequenez; da continuidade da vida, da força na esperança e da eterna mudança que é esse mundo de meu Deus!

Me faz pensar sobretudo no nosso crescimento... E acho que este só se torna possível quando reconhecemos o contínuo movimento da vida e a contínua transformação de nós mesmos...

Me refiro à "TOCANDO EM FRENTE", de Almir Sater e Renato Teixeira

Ando devagar porque já tive pressa
Levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Eu nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Todo mundo ama um dia, todo mundo chora,
Um dia a gente chega, no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
E ser feliz

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

PLANTAÇÃO


Há um provérbio chinês que diz: “Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo de plantamos”. É verdade... Colhemos o que plantamos... Mas acho que o ditado não contempla o longo processo entre o colher e o plantar... Tem muita coisa pra acontecer entre a escolha da semente e a colheita...

Somos os únicos responsáveis pela escolha do que plantar, mas nunca teremos como saber com exatidão o que vamos colher. Por mais cuidado que tenhamos com a lavoura, nunca conseguiremos ter total controle sobre as pragas que o vizinho planta no seu quintal e que teimam em atacar nossa plantação. Também não poderemos interferir nas intempéries da natureza, por mais que sigamos o calendário rural, as fazes da lua, usemos o adubo certo ou façamos a poda em tempo...

Nesse sentido é que digo que poderemos escolher o que queremos colher, mas nunca saberemos exatamente O QUE e SE colheremos, apesar de termos plantado...

Apesar disso, sigamos plantando aquilo que queremos colher! Continuemos cuidando para que nossa lavoura seja o menos prejudicada possível! E no fim, se colhermos frutos menos abundantes do que esperávamos, que aprendamos a nos contentar com menos e a persistir na plantação da próxima safra. E que possamos pacientemente esperar por novos frutos...